Saiba qual a probabilidade de o bebê de Meghan e Harry ser ruivo

Saiba qual a probabilidade de o bebê de Meghan e Harry ser ruivo

 

Veículo: R7
Data: 06/05/2019
Link: https://noticias.r7.com/saude/saiba-qual-a-probabilidade-de-o-bebe-de-meghan-e-harry-ser-ruivo-06052019

Para isso, é preciso que ele herde uma mutação no gene MC1R, que determina as características de uma pessoa ruiva, tanto do pai quanto da mãe

Filho de Meghan e Harry pode ser ruivo

Existe a possibilidade de o bebê real britânico, filho de Meghan Markle e do príncipe Harry, nascido nesta segunda-feira (6), ser ruivo. Para isso, é preciso que ele herde uma mutação no gene MC1R, que determina as características de uma pessoa ruiva, tanto do pai quanto da mãe, explica Ciro Martinhago, médico geneticista da equipe de genética do Hospital Israelita Albert Einstein.

“Da parte do pai, ele certamente herdará. Embora não tenha se manifestado, a mãe pode carregar esse gene e passá-lo ao filho. Como é um gene recessivo, são necessárias duas cópias para que ele se expresse”, afirma.

Segundo ele, o Reino Unido é a região com o maior número de ruivos do mundo – cerca de 10% da população. De maneira geral, apenas 2% das população mundial é ruiva. “Isso representa 1 em cada 200 pessoas, o que equivale a 40 milhões de pessoas”, diz o médico geneticista.

Ele explica que a cor do cabelo e cor da pele são determinados por dois tipos de melanina: a eumelanina e a feomelanina. “A eumelanina é responsável pelo cabelo e pele escuros e pelo bronzeamento das peles claras. Já a feomelanina tem um pigmento rosa e está presente nos lábios, mamilos e genitais. A mutação no gene MC1R transmite ao cabelo e à pele mais eumelanina do que feomelanina, gerando cabelo vermelho e sardas na pele”.

Além das características físicas, a mutação no gene MC1R traz outros traços. De acordo com o médico, ruivos são mais sensíveis a dor e exigem doses mais altas de anestésicos.

“Eles têm uma mutação em um receptor de hormônios que aparentemente responde a pelo menos dois diferentes hormônios: o de estimulação dos melanócitos, que faz a pigmentação da pele, e às endorfinas, que estão associadas ao hormônio de redução da dor”, afirma.

Pessoas ruivas também têm maior risco de câncer de pele e queimaduras solares. Uma das hipóteses é que o pigmento feomelanina, responsável pelo vermelho no cabelo, torne os ruivos mais suscetíveis ao melanoma do que as pessoas loiras, segundo Martinhago.

O médico ressalta que, apesar de raros, os ruivos não correm risco de desaparecerem. “Não existem evidências científicas que suportem a afirmação de que ruivos serão extintos. O nascimento de um bebê ruivo é raro, mas continuará acontecendo”, conclui.

 

Digite um comentário